Imposto de Renda 2016: Como declarar IRPF 2016

Para quem não sabe, o Imposto de Renda é um documento que é solicitado todo ano para que as pessoas físicas ou pessoas jurídicas possam declarar sua renda. Há algumas diferenças entre os tipos de declarações e é sobre isso que vamos falar e também sobre como realizar a declaração do Imposto de Renda 2016. Além das informações sobre os tipos de declaração, vamos explicar também sobre quem é obrigado a declarar as contas para a Receita Federal. Saiba mais sobre esse assunto e tire todas as dúvidas sobre esse documento anual.

IRPF

O que é Imposto de Renda 2016

O Imposto de Renda é um imposto federal que é cobrado de pessoas que tem um ganho maior do que um determinado valor. Geralmente ele valor é de dois mil reais, mas que pode variar um pouco dependendo da região. Todo ano os contribuintes são obrigados a declarar o imposto medicante a prestação de informações por meio da Declaração de Ajuste Anual também conhecida como DIRPF.

IRPF 2

O Imposto é pago pelas pessoas físicas e jurídicas mediante o cálculo baseado em sua renda e no caso de pessoa jurídica, na renda do estabelecimento. Há duas formas de se calcular o valor do imposto de renda a ser pago e essas formas são:

  • Aplicar cada percentual da alíquota às faixas da base de cálculo que estiverem dentro dos limites definidos;
  • Ou então aplicar o percentual (alíquota) referente à totalidade da base de cálculo e em seguida subtraindo-se a parcela a deduzir.

Mas a dúvida é, quem deverá declarar o Imposto de Renda? É justamente isso que vamos explicar. Quem deve fazer a declaração IRPF 2016 são os cidadãos que:

  • Receberam rendimentos tributáveis no valor total acima de R$ 25.661,70;
  • Tiveram rendimentos isentos, não tributáveis ou tributáveis exclusivamente na fonte acima de R$ 40.000;
  • Tiveram posse de bens e direitos (inclusive terra nua) em valor acima de R$ 300.000,00;
  • Obtiveram receita bruta relativa à atividade rural em valor superior a R$ 128.308,50;
  • Produtor rural que pretende compensar, no ano-calendário de 2013 ou posteriores, prejuízos de ano-calendário anterior ou do próprio ano-calendário de 2013;
  • Obtiveram, em qualquer mês, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas;
  • Optaram pela isenção do Imposto sobre a Renda sobre o ganho de capital com a venda de imóvel residencial, cujo produto da venda foi aplicado na aquisição de imóveis residenciais localizados no País, no prazo de 180 dias contados da celebração do contrato de venda;
  • Passaram à condição de residente no País em 2013.

IRPF 3

As contribuições podem ser feitas por pessoas autônomas ou pessoas que estão trabalhando com registro em CLT ou contrato. Também terão que declarar o imposto as pessoas jurídicas.